Sócio UniversoTorcedor

Força na areia

Grupo Tricolor intensifica a parte física em atividade na praia

Grupo Tricolor se movimentou na praia hoje pela manhã

A pré-temporada da Bolívia Querida segue a todo vapor. Os trabalhos começaram logo cedo para o grupo Tricolor, que realizou um treino físico na praia do Calhau, focado no arranque e explosão muscular.

Grupo Tricolor se movimentou na praia hoje pela manhã

Uma das muitas caras novas para os desafios de 2019, o meia-atacante Salatiel destacou a importância da movimentação na areia: “Treino bom para deixar o grupo solto, com a musculatura reforçada e com mais disposição ainda para treinar. Estamos nos preparando bem, e acredito que todo esse trabalho renderá bons frutos para o Sampaio”, destacou.

A terça-feira será novamente de treinamento em período integral. Após a atividade matinal na praia, o grupo boliviano treinará com bola no CT José Carlos Macieira, a partir das 15h30.

Chegando – Enquanto a pré-temporada segue em andamento, novos jogadores continuam chegando para reforçar o elenco. Ontem, o atacante Bruninho já esteve no CT para realizar exames e participou do primeiro treinamento com os demais companheiros.

Bruninho tem 28 anos, 1,65 de altura e 70 kg. Teve passagens pelo Flamengo, Sport e América Mineiro. Disputou a temporada de 2018 pelo Ituano/SP.

Outro que desembarcou esta madrugada foi o lateral esquerdo Rômulo, que estava jogando no Deportivo Capiatá, do Paraguai.  O atleta já irá se apresentar ao clube hoje à tarde para passar por todo o procedimento clínico e começar os trabalhos com o grupo.

Sobral – O presidente Sergio Frota confirmou uma proposta do Ceará pelo meia Fernando Sobral, que tem contrato com o Sampaio até 2021: “A diretoria do Ceará entrou em contato, mas ofereceram um valor abaixo da multa. Fizemos uma contraproposta, e vamos ver se conseguiremos resolver a questão até o fim da semana”, explicou o presidente boliviano.

O goleiro Andrey também está na pauta de negociações, mas até o momento nada de concreto foi definido sobre o futuro do camisa 1 do Sampaio Corrêa na temporada 2018.

18 respostas

  1. O motivo principal do Sampaio não poder segurar uma boa parte dos bons jogadores desse ano de 2018, foi a ausência do seu torcedor ao longo de todo o ano, não basta só os pequenos patrocínios que o clube teve, tem que ter o apoio maciço de seu torcedor.

    1. Concordo com voce ECR. Aí eu te pergunto: Se por essas razões não pode segurar os jogadores que estavam aqui, como vai trazer outros do mesmo nível? Vamos entrar nas 8ª de final da Copa do Barasil! Com que time? Devemos pegar time da primeira divisão! E a Copa do Nordeste? Não vamos ter a mesma sorte de 2018, não vamos tere o Sobral, o Maracás, o Andrey, etc, etc, etc.

      1. É exatamente o que eu quero dizer, como pode um time do Maranhão segurar e contratar bons jogadores se não tem apoio do seu torcedor, ou melhor não tem recursos suficiente para tal? A Série-C a realidade é outra, não tem recursos da CBF, se não houver recursos extras e apoio maciço dos torcedores, como vai poder contratar bons jogadores para encarar de igual pra igual times de qualquer série?

      2. Respoeta ao seu comentário abaixo
        A qualidade do jogador é ele quem imprime e o salário vem em decorrência disso também. Pode-se ter um jogador da base que ascenda para o time profissional, o salário dele pode até aumentar, mas não se equivalerá aos dos que já estão lá. E é a qualidade que leva um jogador a ser cogitado para disputar competições mais competitivas e “fortes”. A qualidade não vem num piscar de olhos, muito menos de um olhar preconceituoso, deixemos os jogadores buscarem a evolução dessa qualidade que já lhes foi credenciada pelo alguns profissionais. Eu não acredito em mula sem cabeça, acredito em profissionais que tem cabeça, ou que em um jogo podem até perdê-la, porque não me deixo levar por opiniões alheias, sem vê-las holisticamente, ocorrendo na teoria e na prática.

  2. MINHA RAPAZIADA SAMPAINA, reconheço q estamos num recomeço cruel. Inicialmente, o time montado aí pelo “Fravo”, é de série c pra d. Confesso q não sei das condições financeiras atuais, mas para o Maranhense pode emplacar, porém, para as demais competições: “ah! Não vai não!! Ismar!!

    1. COMPLEMENTANDO: Até porque o arquirrival daí, é igual ao meu “FRAMENGO”daqui, muuuita conversa e tal e coisa e…coisa e tal..e, DINHEIRO que é bom, “necas de pitibiriba”, uma tristeza!
      ismar!!

    2. De Série C pra D? Não entendi.
      Pois ainda acho que o jogador deve se adequar ao nível da Competição que está disputando. Se é mais competitiva, mais forte devo me esforçar mais, treinar mais, aperfeiçoar mais. Superar desafios, vencer obstáculos, dificuldades fazem parte de toda profissão.

      1. Procure saber em quanto está o valor do velho, batido e suado “TETO SALARIAL”e..e..tire suas conclusões. Ok?
        Forte abraço
        ismar!!

        1. Concordo plenamente com voce Ismar! O time não pode manter os melhroes jogadores de 2018, como os goleiros, o Maracás, o Sobral, etc, etc. Se não teve como manter como vai trazer jogadores do mesmo nível? Vai ter mesmo que contratar jogadores de Série D e C e olhe lá!!!!!! Só que vai entrar nas oitavas de final da Copa do Brasil com o time que tiver jogando o Campeonato maranhense, precisa falar alguma coisa mais????

        2. O piso salarial pode ser um critério para se saber de qual Série é o jogador. O Fernando Sobral era da C, foi para a B e agora pode ir para a A.

          1. Exceção da regra. Você acha que esses desconhecidos que estão no Sampaio estão no mesmo nível do Sobral??? Na série B você vivia acreditando em todo, até em mula-sem-cabeça…

  3. Presidente. Fique com.um bom percentual dos direitos economicos do Sobral, qualquer que seja a negociaçao com ele. Pide render muito frutos pra bolivia querida no futuro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *